A Fundação
Os Arquitectos
A Documentação
Património Edificado
Investigação
Edições
Conferências
Colóquios
Exposições
Cursos
Visitas Guiadas
Viagens Culturais
Outras iniciativas
Gravações vídeo
Newsletter
Contactos
Loja
Destaques
Carrinho de Compras
Arquivo digital
Catálogo bibliográfico
facebook
facebook

Sistema de Informação Carlos Carvalho Dias

 


Bóbeda, Chaves, Solar do Sr. Pinto, átrio - escadas para o salão

 

Carlos Carvalho Dias foi um dos protagonistas do Inquérito à Arquitetura Regional em Portugal, enquanto membro da equipa responsável pelo mapeamento da Zona 2, Trás-os-Montes e Alto Douro, chefiada por Octávio Lixa Filgueiras e da qual fazia ainda parte Arnaldo Araújo. O levantamento sistemático desse território, cuidadosamente documentado em anotações, desenhos, imagens e depoimentos que Carlos Carvalho Dias reuniu e organizou, decorreu entre 1955 e 1956. São registos de uma paisagem em transformação e do que veio a ser publicado em 1961, relativo a esta região do País, na obra Arquitectura Popular em Portugal. A sua colaboração neste estudo pioneiro e ainda hoje determinante para o entendimento da Arquitetura Portuguesa viria ainda a ser revisitada em Memórias de Trás-os-Montes e Alto-Douro: nos 55 anos do "Inquérito à Arquitectura Regional Portuguesa", livro que Carlos Carvalho Dias publicou em 2010, passado mais de meio século sobre a realização do Inquérito.
 

É essa documentação original, onde para além da relevância dos dados recolhidos, acresce destacar a leitura da metodologia seguida no trabalho de campo, que Carlos Carvalho Dias doou à Fundação Marques da Silva, acompanhada das maquetas de trabalho para composição gráfica e impressão do livro de sua autoria e que em breve passará a estar disponível para consulta.

 

Carlos Carvalho Dias, nascido em Viana do Castelo em 1929, é Arquitecto, tendo obtido a sua Licenciatura  na E.S.B.A.P., com a classificação de 19 valores. É membro honorário da “Ordem dos Arquitectos”, da “Associação dos Urbanistas Portugueses” e da “Associación Española de Tecnicos Urbanistas”. Foi fundador da “Associação Internacional de Urbanistas” e seu Vice-Presidente no triénio 1982/1984. Foi também fundador da “Associação dos Urbanistas Portugueses”, tendo exercido vários cargos directivos.
Em 1955, ainda Arquitecto Estagiário, foi selecionado para integrar a equipa que trabalharia em Trás-os-Montes e Alto Douro.
Em 1973 foi convidado, pelos Profs. Percy Johnson-Marshall, da Universidade de Edimburgo e Manuel da Costa Lobo, do Instituto Superior Técnico, para coordenar, no Porto, a equipa que elaboraria o “Plano da Região do Porto”, o qual foi concluído e oficialmente apesentado em 1975. Foi convidado pelo Prof. Joaquim Pinto Machado, nomeado Governador de Macau, para integrar o seu Governo com a pasta do Equipamento Social. Exerceu em Macau intensa actividade ligada ao seu departamento, como, por exemplo, a localização e construção do aeroporto, a criação do “Museu da Marinha” e do “Laboratório de Engenharia Civil de Macau”, assim como a conclusão do Plano de Urbanização do Território e a apresentação da candidatura de Macau a Património Cultural Mundial.
Entre 1989 e 1997 foi Consultor da “Fundação Oriente” para a área do Património.
Foi “Professor Auxiliar Convidado” da “Universidade Lusíada” entre 1989 e 2007, tendo regido disciplinas como “Urbanismo”, “Recuperação” e “Planeamento Urbano”.
Entre 1954 e 2008 exerceu ininterruptamente a atividade de profissional liberal.

 



© fundação instituto arquitecto josé marques da silva / uporto / design: studio andrew howard / programação: webprodz